breve tempus

momentos na cultura antiga

domingo, março 25, 2007

Verdade ou falsidade? - Abertura da Teogonia

Comecemos por cantar as Musas Helicónias,
senhoras da grande e divina montanha do Hélicon,
as que dançam com os seus pés delicados em volta da fonte
de águas violáceas e do altar do Crónida todo-poderoso,
(…)
Foram elas que uma vez ensinaram um belo canto a Hesíodo,
quando ele apascentava os seus cordeiros nas faldas do Hélicon divino.
Eis o que me disseram, dirigindo-se a mim, as deusas,
Musas do Olimpo, filhas de Zeus detentor da égide:
«Pastores que habitais os campos, triste vergonha, que só tendes estômago!
Nós sabemos dizer muitas falsidades, que se parecem com a verdade; mas
também, quando queremos, proclamamos verdades.»
Assim falaram as filhas verídicas do grande Zeus;
deram-me como bordão um soberbo ramo de louro em flor,
cortado por elas; inspiraram-me um canto divino,
para eu glorificar o presente e o passado,
e mandaram-me cantar a raça dos bem-aventurados, que duram sempre;
e celebrá-las sempre a elas também, no princípio como no fim.

Teogonia
, 1-34 .- trad. Maria Helena da Rocha Pereira, Hélade.

A abertura da Teogonia não nos deixa dúvidas quanto à fonte inspiradora do poeta. As Musas, essas deusas que “caminha pela noite fora, a cantar formosas melodias” surgem aqui com um discurso belo, mas malicioso. Parece-me espantoso o modo como a poesia se relaciona com a alétheia, a verdade. A Teogonia é um poema que canta, como o nome indica, a génese dos deuses (teo-gonia), a sua origem mitológica.
É notável como no primeiro discurso das Musas, estas logo apontam o tom ambíguo do seu próprio discurso, pois, se as Musas sabem dizer muitas falsidades, também, quando querem, proclamam verdades. Verdade ou falsidade, Hesíodo lança de forma muito hábil uma dúvida germinal no poema que canta a origem dos deuses. Fica desde o início plantada a semente da incerteza, na primeira obra literária “ocidental” cujo tema estrutural é o divino.

Etiquetas: , ,

3 Comments:

At 12:10 da manhã, março 26, 2007, Blogger Xantipa disse...

Bom regresso!
:)

 
At 8:55 da tarde, março 26, 2007, Blogger Miguel G Reis disse...

Finalmente de volta!
Abraço,
Miguel
:)

 
At 7:33 da tarde, março 27, 2007, Blogger Elipse disse...

os deus Pã não morreu;

não morrerá
enquanto o divino propósito
for a causa da música nas palavras.
Saudemos os deuses que nos inspiram.

 

Enviar um comentário

<< Home