breve tempus

momentos na cultura antiga

terça-feira, janeiro 23, 2007

O que é o homem?

Todas as grandes e excelentes obras literárias têm momentos de viragem, momentos em que algo se altera profundamente. Seja o rumo da acção ou o destino das personagens. Neste excerto deixo-vos a primeira grande viragem na história da literatura europeia. Príamo, anteriormente rei todo-poderoso de Tróia, pai de inúmeros filhos, é agora um pedinte. E que pede Príamo? Roga a Aquiles que lhe restitua o cadáver torturado do seu filho Heitor, o mais honrado entre os Troianos, o defensor da cidade de muralhas imensas, que foi chacinado pelo temível Aquiles.
Até este momento singular a Ilíada tinha-nos mostrado um Aquiles feroz, autêntico guerreiro implacável, cujo único motor era a sede de vingança. Mas…

Respondendo-lhe assim falou Príamo, semelhante aos deuses:
(…)
Pensa no teu pai, ó Aquiles semelhante aos deuses!
(...)
Respeita os deuses, ó Aquiles, e tem pena de mim,
lembrando-te do teu pai. eu sou mais desgraçado que ele,
e aguentei o que nenhum outro terrestre mortal aguentou,
pois levei à boca a mão do homem que me matou o filho."
Assim falou; e em Aquiles provocou o desejo de chorar pelo pai.
Tocando-lhe com a mão, afastou calmamente o ancião.
E ambos se recordavam: um deles de Heitor matador de homens
e chorava amargamente, rojando-se aos pés de Aquiles;
porém Aquiles chorava pelo pai, mas também, por outro lado,
por Pátroclo. O som do seu pranto encheu toda a casa.

Ilíada, XXIV 486 e 503-512 (trad. Frederico Lourenço)

Depois deste choro purificador, Aquiles restituiu o cadáver de Pátroclo ao seu Pai. Mas muito mais importante do que isso, torna-se um ser humano capaz de rever a dor do próximo na sua própria dor e, desse modo, humaniza-se. Pouco depois, Aquiles morrerá vítima da seta vingadora de Páris, filho de Príamo e irmão de Heitor, mas morre como um homem pleno na sua dor e também capaz de sentir a dor dos outros. Ainda assim, note-se o seguinte, Aquiles não se cristianiza, pois o que faz não é um acto de caridade, é antes um acto da mais profunda dignidade humana que transcende a mera moral e que nos mostra que ser humano é além de tudo o mais entender o humano.

(Lamento a minha ausência nos últimos dias, mas tem-me sido muito difícil conseguir algum tempo para vos deixar algo com pés e cabeça.)

Etiquetas: ,