breve tempus

momentos na cultura antiga

quarta-feira, dezembro 13, 2006

Epicuro sobre o prazer




Nenhum prazer é em si um mal, mas as acções originárias de alguns prazeres trazem muito mais problemas do que os próprios prazeres.

Epicuro, Máximas Principais, VIII.

Nesta nossa era onde o prazer individual é o objectivo máximo do ser humano, deveríamos prestar um pouco de atenção a Epicuro. Para ele o prazer era tudo. Mas um prazer reflectido, ponderado, e atemporal, nunca um prazer efémero, súbito, pontual ou ocasional. Ou seja, o prazer real não se extingue num sopro momentâneo, antes chega-nos até aos ossos e aí permanece até ao fim dos nossos dias. Um exemplo contundente: quantos orgasmos não tivemos e viremos a ter em que nunca mais pensámos. No entanto, há certos acontecimentos que temos bem guardados no nosso profundo ser que foram verdadeiros prazeres, dentro desses acontecimentos estão também alguns orgasmos, claro.

Etiquetas: , ,

3 Comments:

At 1:05 da manhã, dezembro 22, 2006, Blogger Miguel G Reis disse...

Ola Manuel

Excelente postal! Com todas as palavras.

Com a época natalícia à porta o tempo é pouco, e não tenho tido tempo de passar por aqui com a atenção merecida. Com as compras feitas, é tempo de recuperar o tempo perdido!
Cá voltarei.

Desejos de um Natal Feliz!

Abraço
Miguel

 
At 3:03 da tarde, dezembro 22, 2006, Blogger Manuel disse...

Cá estarei meu caro Miguel.

Bom Natal para sim também!

Abraço

 
At 3:31 da tarde, janeiro 20, 2010, Anonymous Anónimo disse...

Nice post and this enter helped me alot in my college assignement. Say thank you you on your information.

 

Enviar um comentário

<< Home